press

Nelson Freire: um dos maiores pianistas do mundo se apresenta na Série Dell’Arte 2012


Um dos mais aclamados pianistas da atualidade, Nelson Freire, que inaugurou a Série de concertos da Dell’Arte há 18 anos, retorna na programação da 19ª edição, em comemoração aos 30 anos da empresa. O grande virtuose brasileiro se apresenta no Theatro Municipal do Rio no dia 02 de setembro.

nelson-freire-2012-destaque

Há 18 anos, o grande pianista brasileiro Nelson Freire subiu ao palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro para inaugurar aquela que se tornaria a maior programação de música clássica da cidade e uma dos principais do país. Durante os anos seguintes, a Série apresentou para os cariocas mais de 150 atrações entre o que de mais importante e significativo existia no cenário da música clássica internacional. Hoje, em sua 19ª edição, a Série recebe novamente Nelson Freire: ele será a oitava atração da programação especial deste ano, que celebra os 30 anos de existência da Dell´Arte.

O aclamado pianista brasileiro, que se coloca hoje na linha de frente entre os grandes vultos da música clássica, é hóspede habitual dos festivais de Londres, Berlim, Mônaco, Viena, Paris, Amsterdam, Copenhague, Hamburgo, Praga, Zurique, Berna, Genebra, Lisboa, Telavive, Tóquio, Nova York, Boston, Washington e Montréal. Apresenta-se frequentemente em duo com Martha Argerich — com quem forma um dos mais prestigiados duos de piano da atualidade,  e já participou de turnês europeias com algumas das principais orquestras do velho continente. Na apresentação do dia 02 de setembro, Freire apresentará para o público carioca uma seleção de peças de Bach, Busoni, Brahms, Villa-Lobos, Enrique Granados, Chopin e Listz.

A apresentação de Nelson Freire, dentro da Série O GLOBO / Dell’Arte Concertos Internacionais 2012,faz parte do Circuito Cultural Bradesco Seguros, que apresenta para o público brasileiro um calendário diversificado de eventos artísticos com espetáculos nacionais e internacionais de grande sucesso, em diferentes áreas culturais como dança, música erudita, artes plásticas, teatro, concertos de música, exposições e grandes musicais.

Nelson Freire

A imprensa internacional o aclama como um dos maiores pianistas de nosso tempo e não cessa de compará-lo a figuras lendárias da história do piano. Sua carreira estende-se por mais de 50 anos e já levou o artista às melhores salas de concerto do mundo. Apesar de seu enorme prestígio, Nelson Freire evita a fama e a vida social, dedica-se integralmente à música inspirando-se nos grandes pianistas que o impressionaram desde garoto, como Rachmaninov, Horowitz, Rubinstein e Guiomar Novaes.

Nascido na cidade mineira de Boa Esperança, desde menino mostrou excepcional talento para a música e para o piano. Estudou com Nise Obino e Lúcia Branco, às quais deve a sólida educação musical e pianística que obteve no Brasil. Nelson fez sua primeira apresentação pública aos quatro anos de idade. Aos doze, interpretando o “Concerto Imperador” de Beethoven, foi premiado no I Concurso Internacional de Piano do Rio de Janeiro, de cuja comissão julgadora participavam, entre outros, Guiomar Novaes, Marguerite Long e Lili Kraus. Esse prêmio lhe valeu uma bolsa de estudos do governo brasileiro para prosseguir sua formação musical em Viena, sob a orientação de Bruno Seidlhofer.

Em sua estreia na Academia de Música de Viena, aos 15 anos de idade, Nelson Freire interpretou a Sonata em Fá sustenido menor de Brahms impressionando profundamente  professores e alunos da instituição. Apresentou-se em mais de cinquenta países, nas cidades mais importantes dos cinco continentes. Em 1964 venceu o Concurso Internacional Vianna da Motta, em Portugal, e conquistou a Medalha Dinu Lipatti em Londres.

Em cinco décadas de dedicação à música, apresentou-se com inúmeros regentes ilustres como Sir Colin Davis, Pierre Boulez, Riccardo Chailly, Charles Dutoit, Valery Gergiev, Eugen Jochum, Lorin Maazel, Rafael Kubelik, Kurt Masur, Rudolf Kempe, Vaclav Neumann, Seiji Osawa, Michel Plasson, André Previn e David Ziman. Dentre as orquestras com as quais já colaborou, destacam-se as Filarmônicas de Berlim, Munique e Roterdam, as Sinfônicas de Viena e Londres, as Orquestras do Concertgebouw de Amsterdam e do Tonhalle de Zurique, a Bayerische Rundfunk, a Gewandhaus de Leipzig, a Royal Philharmonic Orchestra de Londres, a Orchestre National de France, a Orchestre de Paris, a Orchestre  de la Radio France, as Orquestras de Monte Carlo e da Suisse Romande, a Filarmônica Checa, a Sinfônica de São Petersburgo, a Filarmônica de Israel e a NHK de Tóquio. Na América do Norte tocou ao lado das orquestras de Baltimore, Boston, Chicago, Cleveland, Los Angeles, Montréal, Nova York e Filadélfia.

Como recitalista, Nelson Freire tem frequentado regularmente as mais prestigiosas salas de música de Paris, Nova York, Londres, Roma, Tóquio, Madri, Amsterdam, Roterdam, Bilbao, Bruxelas, Zurique, Genebra, São Francisco e Toronto. Em festejado duo com a pianista argentina Martha Argerich, apresentou-se no Japão, Argentina,  Europa, Estados Unidos e no Brasil.

Dentre os compromissos artísticos de Nelson Freire ao longo dos últimos anos destacam-se a participação nos festejos de 150 anos da morte de Chopin, em 1999, presidência do júri da edição de 2001 do Concurso Marguerite Long em Paris, concertos no BBC Prom´s de Londres e no Japão (com a NHK de Tóquio), participação nos festivais de La Roque D´Anthéron  e Piano aux Jacobins, de Toulouse. Turnês com a Gewandhaus de Leipzig (regência de Riccardo Chailly), a Filarmônica de Londres (regência de Kurt Masur), a Orchestre  de la Suisse Romande, a Orquestra de Rádio da Dinamarca e a Orchestre National de France (Kurt Masur), no Concertgebouw de Amsterdã. Participou como jurado no Concurso Chopin em Varsóvia em 2010 e no Concurso Tchaikovsky de 2011 em Moscou.

A discografia do pianista inclui registros para os selos Sony-CBS, Teldec, DG, IPAM e London. Em 1999 a Philips lançou um CD com interpretações de Nelson Freire na série “Great Pianists of the 20th Century”. Sua gravação dos 24 Prelúdios de Chopin (selo CBS) foi agraciada com o Prêmio Edison. Desde 2001, o artista grava com exclusividade para o selo Decca, pelo qual lançou seis álbuns elogiadíssimos: em 2002,Chopin (Sonata Nº3, Estudos op.25 e 3 Novos Estudos), agraciado com os prêmios “Diapason d´Or”, “Grand prix de l´Académie Charles Cros”, “Choc du Monde de la Musique”, “10 de Repertoire e Classica”, em 2003, Schumann (Carnaval,op.9, Papillons, op.2, Cenas Infantis, op.15, e Arabesque), em 2005, Chopin (Sonata Nº2, Estudos, op.10 e Barcarola, op.60), indicado como melhor gravação solo com os prêmios “Grammy”,”Diapason d´Or” e “Choc du Monde de la Musique”. Em 2006 sua gravação do álbum duplo Brahms – The piano Concertos (com a Orquestra da Gewandhaus de Leipzig e regência de Riccardo Chailly) conquistou o prêmio de Melhor Disco do Ano da renomada revista Grammophon de Londres. Em 2007, Beethoven (Sonatas, op.27 nº 2, Ao Luar, op.53, Aurora, op.81ª, Les Adieux e op. 110), em 2008, Debussy (12 Prelúdios, 1er cahier d´un cahier d´esquisses, Clair de lune). Seu álbum duplo com a gravação dos Noturnos de Chopin foi lançado mundialmente em março de 2010.

Em 2003 o cineasta João Moreira Salles estreou o documentário Nelson Freire – um filme sobre um homem e sua música, um comovente retrato do pianista, de sua vida e sua arte. Ao longo de sua carreira, Nelson Freire tem sido agraciado com várias condecorações, com destaque para a de Comendador da Ordem do Rio Branco em 1991, Comenda da Ordem do Mérito Cultural em 2000, “Commandeur dans l´ordre des Arts et des Lettres” do governo francês em 2007, Comendador  da Ordem do Ipiranga em 2009 do Governo de São Paulo e “Distinguished Artist Award” da “International Society for the Performing Arts” em 2009. Em 2002 o pianista foi apontado “Solista do Ano” pela associação francesa “Victoires de la Musique” e em janeiro de 2005 foi agraciado com a distinção especial “Victoire d´Honneur”, pelo conjunto de sua carreira.

Programa

I.
Johann Sebastian Bach / Busoni
Prelúdio coral “Je vous invoque Seigneur”, BWV 639

Johannes Brahms
Sonata em Fá menor, op. 5

  • I. Allegro majestoso
  • II. Andante expressivo
  • III. Scherzo
  • IV. Intermezzo
  • V. Finale: Rondó

II
Frédéric Chopin
Barcarola, op. 60

Heitor Villa-Lobos
Choros Nº 5 – Alma Brasileira

Enrique Granados
Goyescas, op.11

  • Nº 4 – Quejas, o La Maja y el Ruiseñor

Franz Listz
DeuxÉtudes de Concert

  • N°2 – Murmúrios da Floresta

Balada N°2

Serviço

Dia: 02 de setembro (domingo)
Hora: 17h
Local: Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Endereço: Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Praça Floriano s/n° – Centro

Vendas: Theatro Municipal

Site: http://www.ingresso.com
Tel: 4002-0019

Classificação etária: 10 anos

Preço:

Plateia – R$ 300,00
Balcão nobre – R$ 300,00
Balcão superior – R$ 160,00
Galeria – R$ 80,00

50% de descontos para clientes Bradesco Seguros.
Saiba mais:

http://www.dellarte.com.br/bradescoseguros


A MIDIORAMA é responsável somente pela ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO deste evento, não tendo qualquer envolvimento ou responsabilidade sobre a produção, organização, venda de ingressos, agenda ou programação.


Formulário de credenciamento


Instituição

Editoria

Credenciado 1

Press Kit


Galeria de Imagens

Faça o download do Press Kit


Deixe seu comentário


Envie sua matéria


Anexar imagem de destaque