zoom

Vanessa Jackson surpreende e emociona público com “Uma Saudação a Whitney Houston”


Com muito carisma e presença de palco, a cantora conduz a melhor homenagem à diva das divas

whitney-houston-saudacao-vanessa-jackson

No último sábado (21), estivemos presente no espetáculo “Uma Saudação a Whitney Houston” que aconteceu no Teatro Antônio Fagundes, no Rio de Janeiro. A estrela Vanessa Jackson surpreendeu o público com sua potente voz e encarnação da cantora, que é praticamente impossível de se interpretar.

Que Whitney Houston foi uma das vozes mais potentes que já passaram por essa vida, não é novidade para ninguém. A diva faleceu em 2012 e deixou um legado eterno com seus clássicos e seu alto alcance vocal. Podemos dizer que uma pessoa que faz um cover de suas músicas, é no mínimo ousada.

Ao começar o espetáculo, Vanessa entrou com um vestido amarelo inspirado no usado por Houston, na África do Sul, em 1994. ‘Greatest Love Of All’, um dos maiores hits, já chega arrepiando com uma voz surpreendente. Já havia visto alguns vídeos da vencedora do programa “Fama” na internet, mas vivenciar aquilo ao vivo era algo de outro patamar. Na primeira música, a artista conseguiu arrancar aplausos inúmeras vezes. Naquela música o pensamento de “já valeu a pena” apareceu.

Figurino usado por Whitney na África do Sul, em 1994
Figurino usado por Whitney na África do Sul, em 1994

Em um discurso de homenagem à cantora, Vanessa confirma sua adoração pela homenageada da noite.

“Nunca vamos deixar essa imagem dela morrer. Uma das maiores divas que tivemos no planeta”, ela afirma.

‘One Moment In Time’ também foi uma das músicas mais incríveis e colocou todo mundo para aplaudir de pé, logo no começo.

Vanessa é um show à parte. Se comunica com membros da plateia, dá um show de carisma, manda corações e aponta para os presentes. Em certo momento até gritam “gostosa!”, e ela lida com bom humor contagiando quem ainda não entendia a grandiosidade da noite (acredito que até esse momento todos já haviam compreendido).

Sempre mantendo a qualidade impecável das faixas, ela não desafina uma única vez durante os 100 minutos de show. Ao mesmo tempo em que ela consegue segurar agudos dificílimos, ela faz graves pesados e admiráveis.

Antes de ‘Didn’t Know My Own Strength’,  conta sobre a importância do grande retorno da diva, que aconteceu em 2009, anos antes dela falecer. A música que mostra superação e força foi cantada de forma profunda e emocionante, assim como aconteceu originalmente na época. Logo após, ela emenda ‘I Look To You’, lançado no mesmo álbum. Outro ponto impressionante, é que o show é feito sem backing vocals, e em momento nenhum sentimos falta disso.

No começo do espetáculo, foi dito que era para nos divertirmos naquela noite e fazermos o que sentíssemos vontade. Em ‘I Wanna Dance With Somebody’, eu tivemos que levantar para dançar. Que vibe contagiante!

Outro ponto que merece destaque é o detalhismo dos figurinos de Iria Goya. As réplicas simples porém minuciosamente pensadas casavam com as épocas e perucas usadas.

Um dos momentos mais impressionantes do show foi o trio ‘I Love You, Porgy’ / ‘And I Am Telling You I’m Not Going’ / ‘I Have Nothing’, com direito a figurino inspirado na apresentação em que foi cantado, em 1994, no American Music Awards. Três músicas de alta potência vocal realizadas com excelência. Posso dizer que já vi muitos covers de ‘And I Am Telling You I’m Not Going’ e ‘I Have Nothing’, até porque, são queridinhas em programas de calouros. Para cantar, é preciso ser audacioso porque o resultado pode ser excelente ou desastroso. Vanessa Jackson conseguiu me chocar e definitivamente fez a melhor apresentação que já vi ao vivo (e posso afirmar isso com tranquilidade, até porque nunca vi WH pessoalmente). Em certo momento, a nota foi tão longa, que os 15 segundos para o meu Instagram Stories não foi suficiente para a grandiosidade de Vanessa.

Ao final do show, em ‘It’s Not Right But It’s Okay’, um vestido dourado e extravagante é usado. A cantora desce na plateia e cumprimenta um por um, fazendo todo mundo dançar e se divertir com o clima do local.

Ao introduzir a última e mais esperada música da noite, ela conta que ‘I Will Always Love You’ marcou todo mundo. E ela tem razão. Eu, que tenho 24 anos, não vivi ativamente o sucesso do hino, afinal, foi lançado em 1992, antes mesmo de eu nascer. Ainda sim, vivi a importância da cantora e da trilha sonora mais vendida de todos os tempos, de “O Guarda Costas”. Não existe um karaokê, um lugar em que as pessoas não reconheçam a grandiosidade dessa música. Executada com perfeição, ela emocionou o público de pé.

uma saudação a whitney houston vanessa jackson

Para finalizar o espetáculo, foi escolhida ‘I’m Every Woman’, o que deixou os presentes animados e satisfeitos. Acessível, Vanessa foi tirando selfie com todos que iam à frente do palco. Ela mostrou que tem carisma, presença de palco, voz e leveza para conduzir uma homenagem à diva das divas. Sem dúvidas, é um espetáculo para todas as idades. Para quem é fã, e para quem não conhece tanto a importância de Whitney.

Para mais informações de “Uma Saudação a Whitney Houston, clique aqui.

Fotos: Jhonny Hitchens

Por Alexandre Levy


Deixe seu comentário


Envie sua matéria


Anexar imagem de destaque